O anúncio pela poesia

Fui no sarau

E meus amigos estranharam daquele shopping estar vazio

Em plena sexta-feira à noite

E entre os poetas, lampejos: ilusão achar que não sou mau

 

O sexo está perto de acabar

mas aquela vadia continua no cio

Brasil não ganhou, poesia na barra da tijuca

e por isso o gado e as ovelhas no açoite

 

E aí entendi o porquê do vazio naquela noite

Mas senti medo porque a partir desse dia talvez

seja o começo mais próximo do fim do mundo

ou proximidade da minha morte

O fim é anunciado pela poesia…