Guapimirim

Aqui do alto da cidade

Olho para o dedo de deus

E meu espírito  é tocado por qualquer dedo

Aqui todo e qualquer dedo é santo

Principalmente o dedo da pata daquele gato

 

Aqui percebo que nossos órgãos

Se completam e são um só

Graças a Serra dos Órgãos

 

Aqui os rios voltam a ser os mesmos rios

Pois fora daqui tudo é vazio

Aqui os matos voltam a ser matos

Pois aqui não importam e nada dizem os fatos

 

Pouco importa de onde vem a nascente

Se ela está morta

Ou se já foi ou é pequena

Pois aqui em guapimirim

Viemos de uma mesma nascente

E somos do mesmo tamanho