Cine Sopa Especial – Flávio Bauraqui

Cine Sopa é na Casa do mundo.

Cine Sopa é na Casa do mundo.

Dia 26 de Outubro de 2012, em uma sexta-feira, a equipe do Barra da Cultura esteve no evento: Cine Sopa, que contou com um convidado  especial, o ator Flávio Bauraqui.

O mais interessante do Cine Sopa é apresentar ao seu publico, antes da exibição do filme da noite, curtas e musicais. O Cine é realizado em uma ilha, ilha do Ipê, na Barra, em um telão de 35 m2, no jardim do local. Uma matéria sobre o evento e sobre o lugar onde é realizado já foi publicada no site: “O Mundo dentro da Barra.”

O curta “A Maior Flor do Mundo”.

O curta “A Maior Flor do Mundo”.

Antes de Flávio ser chamado para se apresentar, foi exibido o curta: “A Maior Flor do Mundo” , conto infantil de José Saramago. Realizado pelo galego Juan Pablo Etcheverry em 2006 e narrado pelo próprio José Saramago, este filme de animação tem a banda sonora da lavra do galego Emilio Aragón que pela mesma recebeu o Prémio Amigos da Música de Badalona para a Melhor Música Original.

O curta foi nomeado em 2008 para o prêmio Melhor Curta-metragem de Animação nos Goya, e teve um grande êxito nos festivais como Prêmios Mestre Mateo, Tókio Global Environmental Film Festival, Anchorage International Film Festival de Alaska e no Festival Internacional de Cine Ecológico e Natureza de Canárias.

Outro curta apresentado foi: “A Ilha”, da diretora Alê Camargo, curta brasileiro de 2008,  feito totalmente em animação 3d  e produzido pela Produtora OZI Escola de Audiovisual de Brasília. A ilha conta a história de Edu, um rapaz que fica ilhado em uma grande metrópole. O filme aborda de maneira bem humorada os problemas e dificuldades de se viver em uma cidade grande, na qual as aparências enganam e o simples ato de se atrever a atravessar uma rua pode ser um problema.

O Cine Sopa conta com a venda de comida no local, a famosa sopa que no dia visita do Barra Cultura, teve três sabores e a sopa que fez mais sucesso entre os convidados foi a de bacalhau. Quem não gosta muito de tomar sopa tem a opção de comprar cachorro quente. É vendido também vinho para acompanhar a sopa, cerveja e refrigerantes.

Cineasta Neville de Almeida ao centro da foto.

Cineasta Neville de Almeida ao centro da foto.

Neste evento em especial tivemos a presença de pessoas ilustres, como o cineasta brasileiro Neville de Almeida, que mora na ilha da Gigóia, e fez filmes como “A dama da lotação” de 1978, “Sete Gatinhos” de 1980, “Rio Babilônia” de 1982, “Matou a família e foi ao cinema” de 1991 e “Navalha na Carne” de 1997.

o poeta Mano Melo

o poeta Mano Melo

O evento contou também com a presença do poeta Mano Melo, morador da Ilha da Gigóia, e que já entrevistamos na reportagem “Espaço na Barra semeia cultura e sustentabilidade”. O escritor e poeta é um declamador reconhecido no Brasil por suas poesias, que costuma apresentar em shows e recitais em casas de espetáculos, bares, saraus e centros culturais. Em meados deste ano de 2012, Mano lançou o livro “Poemas do Amor Eterno”, com poesias que falam também do amor entre amigos.

o ator flavio bauraqui e patricia rangelAntes da exibição do longa mais votado da noite, o ator Flávio Bauraqui falou ao publico. E foi realizada uma votação para escolher um entre os três filmes em que  Flávio atuou: “Quase dois Irmãos” (2004), “Quincas Berro D´àgua” (2009) e “Madame Satã” (2002), este último foi o filme escolhido da noite.

madame satã no cine sopaEm Madame Satã, o ator convidado do Cine Sopa faz o papel de Tabu, que é um colega de quarto de Madame Satã (Lazaro Ramos) e Laurita (Marcélia Cartaxo). Madame Satã teve 35 indicações a prêmios, tendo vencido em 21 ocasiões.

Flávio Bauraqui interpretando Tabu.

Flávio Bauraqui interpretando Tabu.

Flávio morou clandestinamente em um condomínio da Barra da Tijuca, enquanto buscava trabalho como ator na área: “Na época, parecia impossível. Eu já era ator, tinha registro, prêmios ganhos, mas não tinha dinheiro. Comecei a trabalhar como porteiro. Carregava todo o meu material comigo sempre e mostrava às pessoas. A pedidos, acabei contratado como professor de teatro do condomínio, que oferecia várias atividades aos moradores (judô, basquete…). Fiquei trabalhando como porteiro e professor de teatro! Depois disso, um dos moradores, Beto Silas, me deu o contato do diretor André Paes Leme, que precisava de atores negros para a peça ‘Forrobodó’.

Fonte sobre Flávio Bauraqui: http://www.vigilantetemnoticias.com.br

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s