Exposição: “Farnese de Andrade e os Ex-Votos – Liturgias Contemporâneas”, no Museu Casa do Pontal

Coleção Stutzer, São Paulo. Foto: Eduardo Ortega

Coleção Stutzer, São Paulo. Foto: Eduardo Ortega

O Museu Casa do Pontal, no Recreio, inaugura dia 02 de junho (sábado) de 2012, às 15h, a exposição Farnese de Andrade e os Ex-Votos – Liturgias Contemporâneas. Serão exibidas mais de 150 obras: 13 de Farnese de Andrade, cedidas por instituições museológicas e colecionadores, e 141 ex-votos da coleção do Museu Casa do Pontal, procedentes do Canindé/CE, de autoria desconhecida. Para marcar a abertura da exposição, às 16h, acontece um show do cantor, compositor e baterista Wilson das Neves.  A mostratem curadoria da antropólogaAngela Mascelani, diretora do Museu, e dá sequência aos diálogos entra a arte popular e a contemporânea.  A inauguração é aberta ao público e gratuita.

Ex-voto. Acervo Museu Casa do Pontal. Foto: Anibal Sciarretta

Ex-voto. Acervo Museu Casa do Pontal. Foto: Anibal Sciarretta

Na exposição, o foco se fecha sobre alguns objetos criados por Farnese de Andrade, nos quais a participação dos ex-votos é o ponto de ligação com o acervo do Museu Casa do Pontal. Os ex-votos, em suas provocantes configurações, são duplamente deslocados do campo da religião para o campo da arte, instaurador por excelência de sacralidades contemporâneas. O que se sugere é que se pense sobre estes trânsitos e sobre os tipos de atracagens às quais os ex-votos encontram-se submetidos, tanto no espaço do museu como nas apropriações feitas por Farnese de Andrade ao utilizá-los em suas obras.

Um ex-voto é uma oferenda destinada a Deus ou a um santo que tem como objetivo agradecer uma graça alcançada ou materializar um pedido à divindade com vistas a obter um dom. O bem ofertado é sempre um objeto que ocupa o lugar de intermediário no diálogo que se abre, com esta prática, entre o mundo dos homens e o de Deus. Em geral, ele visa à restituição da saúde, ao agradecimento por uma cura, pelo restabelecimento após uma doença, mas também pode ter em vista a realização de algo de outra ordem, igualmente importante, como conseguir um casamento, ter um lugar para morar, trazer de volta uma pessoa que está longe ou desaparecida, livrar alguém que sofre pelo alcoolismo, obter um emprego, entre outros.

A motivação para construir e oferecer um ex-voto é sempre de ordem religiosa. Sua circulação por outros territórios é, muitas vezes, cercada de tabu. Qualquer um pode fazê-lo, inclusive a própria pessoa que almeja alcançar uma dádiva. São muitos os relatos, na história da arte popular brasileira, de artistas que iniciam suas trajetórias profissionais produzindo ex-votos para penitentes. Tradicionalmente escultores em madeira e artistas da cerâmica os faziam por compaixão à dor do próximo, mas resguardavam-se no anonimato.

No Museu Casa do Pontal os ex-votos são numerosos e provêm, na sua maior parte, de Canindé, no Ceará. Sua aquisição se deu de maneira fortuita e, pode-se dizer que foi a primeira coleção expressiva formada por Jacques Van de Beuque

Durante o mês de agosto haverá o lançamento do catálogo e uma série de debates sobre o tema “Arte e o Sagrado” com a participação de antropólogos, colecionadores, curadores, entre outros especialistas no assunto.

Farnese de Andrade – Pintor, escultor, desenhista, gravador e ilustrado – (Araguari/MG, 1926 – Rio de Janeiro/RJ, 1996) foi um artista múltiplo, em cuja produção, vida e arte se enlaçam de maneira inseparável dando origem a uma obra densa, de caráter fortemente autoral. No Salão Nacional de Arte Moderna de 1970 recebeu o prêmio de viagem ao exterior. Foi para a Espanha e instalou estúdio em Barcelona, onde permaneceu até 1975, quando voltou ao Rio de Janeiro. Em 1993 recebeu o Prêmio Roquette Pinto dos Melhores de 1992 pela exposição Objetos na Galeria Anna Maria Niemeyer. Sua obra está em coleções importantes espalhadas pelo Brasil e no Mundo, como Coleção de Arte Latino-Americana da Universidade de Essex, Inglaterra; Instituto de Arte Contemporânea de Londres – Londres, Inglaterra; Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC/Niterói) – Niterói, RJ; Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (MoMA) – Nova Iorque, Estados Unidos; Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ) – Rio de Janeiro, RJ; Museu Nacional de Belas Artes (MNBA) – Rio de Janeiro, RJ.

O Museu Casa do Pontal, numa área de 12 mil metros, no Recreio dos Bandeirantes, no Rio, é considerado um dos maiores e mais significativos museus de arte popular do país. Seu acervo –resultado de 40 anos de pesquisas e viagens por todo país do designer francês Jacques Vande Beuque – é composto por cerca de 8mil peças de 200 artistas brasileiros e recobre aprodução feita a partir do século 20. A exposição permanente do Museu reúne, em 1.500 metros de galerias, obras representativas das variadas culturas rurais e urbanas do Brasil. Mostradas tematicamente, abrangem as atividades cotidianas, festivas, imaginárias e religiosas.

Em seus mais de 30 anos de atividades, o Museu Casa do Pontal se empenhou em construir alicerces que permitem que o seu acervo seja socialmente protegido e amplamente usufruído. Foram realizadas mais de 50 exposições parciais do acervo no Brasil e em mais 13 países. Desde 1996, o museu desenvolveu um programa social e educacional que envolve visitas teatralizadas,exposições itinerantes e capacitação de educadores e gestores de projetos culturais e sociais. Em 2006, o Museu passou a atuar também como Ponto de Cultura, ampliando a oferta de atividades culturais para o público em geral e, especialmente, para moradores da Zona Oeste. Além disso, oferece programas de atendimento direcionados a turistas nacionais e estrangeiros, como monitoramento e visitas musicai sem diferentes idiomas.

Exposição Liturgias Contemporâneas – Farnese de Andrade e ex-votos:

Inauguração aberta ao público (grátis): 02 de junho de 2012, às 15h. Às 16h, show de Wilson das Neves e João Rebouças.

Visitação: 03 de junho de 2012 a 22 de setembro de 2012
Terça a Domingo, de 9h30 às 17h

Museu Casa do Pontal:

EstradadoPontal, 3.295, Recreio dos Bandeirantes

Ingressos: R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia). O ingresso à exposição permanente do Museu dá acesso livre à galeria: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Ficha técnica:

Farnese de Andrade: coleções: Stützer, SP; Diógenes Paixão, RJ; Ananda Frazão, RJ; Maria Augusta Andrade Lopes, RJ; Gilberto Chateaubriand/MAM RJ; Ronie Mesquita, RJ; João Sattamini/MAC,RJ.

Ex-votos: coleção Museu Casa do Pontal

Curadoria: Angela Mascelani

Mantenedores: Vale e Petrobras

Apoio financeiro: BNDES e Ministério da Cultura

Apoio: Ibram e Secretaria Municipal de Cultura.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s