Projeto “Violas Brasileiras” no Espaço Cultural Escola Sesc

Fernando Deghi e Marcus Ferrer, músicos e violonistas,  que se apresentarão no Espaço Cultural Escola Sesc no "Violas em Concerto", dia 04 de Setembro.

Fernando Deghi e Marcus Ferrer, músicos e violonistas, que se apresentarão no Espaço Cultural Escola Sesc no “Violas em Concerto”, dia 04 de Setembro.

O Espaço Cultural Escola Sesc será palco para violeiros de diferentes estados do Brasil a partir de amanhã, terça-feira, dia 1º de setembro. Terá início o Sonora Brasil, projeto temático que tem como objetivo difundir expressões musicais identificadas com o desenvolvimento histórico da música no país. Ao todo, quatro vertentes da música serão apresentadas, gratuitamente, ao público: violas caipiras, violas singulares, violas em concerto e violas no nordeste. As apresentações reunirão músicos como Fernando Deghi e Marcus Ferrer (foto), Paulo Freire e Levi Ramiro.

Paulo Freire e Levi Ramiro. Os dois se apresentarão no Espaço Cultural Escola Sesc no "Violas Caipiras", amanhã, terça-feira, dia 1 de Setembro, às 19:30 hs e com entrada gratuita.

Paulo Freire e Levi Ramiro. Os dois se apresentarão no Espaço Cultural Escola Sesc no “Violas Caipiras”, amanhã, terça-feira, dia 1 de Setembro, às 19:30 hs e com entrada gratuita.

Violas brasileiras traça um panorama da viola de cinco ordens e de variantes do instrumento que apresentam características peculiares e regionalizadas, relacionadas a práticas musicais restritas a ambientes geográficos pouco abrangentes. A viola caipira/sertaneja, a que mais se projetou difundindo o repertório das duplas de cantadores da região Sudeste e que aos poucos foi sendo incorporada em outras formações ligadas a repertórios populares, é apresentada por Paulo Freire (SP) e Levi Ramiro (SP); a viola na região Nordeste, reconhecida como acompanhadora dos repentistas e como instrumento solista nos ponteados modais com sonoridade nordestina inconfundível, e ainda a machete, ligada aos sambas de roda da Bahia, são apresentadas por Ivanildo Vila Nova (PE), Antônio Madureira (PE) e Cássio Nobre (BA).

A viola em concerto, apresentada por Fernando Deghi (PR) e Marcus Ferrer (RJ), vem ampliando sua presença nos espaços destinados à música clássica desde a década de 1960 quando começou a receber a atenção de compositores como Theodoro Nogueira (1913-2002) e Guerra-Peixe (1914-1993); e as violas singulares com suas peculiaridades e suas claras referências regionalizadas, como a viola de cocho em Mato Grosso, a de buriti em Tocantins, e a do fandango, ligada à cultura caiçara paranaense e do sul de São Paulo, são apresentadas por Sidnei Duarte (MT), Maurício Ribeiro (TO) e Rodolfo Vidal (SP).

 

PROGRAMAÇÃO:

 

VIOLAS CAIPIRAS

A viola na região Sudeste se consagrou com as denominações caipira e sertaneja, a A viola na região Sudeste se consagrou com as denominações caipira e sertaneja, a primeira relacionada às práticas mais tradicionais do meio rural, e a segunda mais associada ao repertório desenvolvido em meio urbano, fundindo à base novos elementos técnicos e estruturais.

Dois músicos representantes do estado de São Paulo vão apresentar repertório que trata desde exemplos mais remotos, como os recolhidos nas pesquisas desenvolvidas por Freire no interior de Minas Gerais e os que povoam a memória de Ramiro desde a infância, até compositores da atualidade, compondo um panorama do desenvolvimento do instrumento na região.

Paulo Freire (SP) se destaca como contador de causos acompanhado de sua viola e possui a experiência ímpar de ter convivido com Mestre Manelim, no sertão do Urucuia, em Minas Gerais, onde teve contato com o universo da viola e dos causos mais autênticos das tradições do meio rural.

Levi Ramiro (SP), além de violeiro respeitado por sua técnica, é detentor de conhecimento raro sobre gêneros como o cateretê e o cururu, é um construtor de viola de cabaça, instrumento que será apresentado na circulação.

Data: 01 de setembro (3ª feira)

Horário: 19h30

Local: Espaço Cultural Escola Sesc

Capacidade: 150 lugares

Duração: 80 minutos

Indicação etária: Livre

Entrada gratuita. Distribuição de ingressos a partir das 18h30

 

 

VIOLAS SINGULARES

As violas singulares são aquelas que não foram difundidas além de suas regiões de origem, permanecendo sempre ligadas a gêneros musicais bastante regionalizados, como o fandango do norte do Paraná e sul de São Paulo, o cururu e o siriri do estado do Mato Grosso e os ritmos tradicionais do cerrado.

O músico e professor Sidnei Duarte, mineiro de Uberaba, radicado em Cuiabá, representa o estado do Mato Grosso e apresenta a viola-de-cocho, instrumento em que é especialista tanto no sentido técnico quanto no teórico, sobre o qual desenvolveu importantes pesquisas acadêmicas.

Rodolfo Vidal apresenta a tradição da viola fandangueira ou caiçara, com a qual convive desde sua infância em Cananeia (SP) e suas próprias criações musicais para o instrumento.

Maurício Ribeiro, do povoado de Mumbuca, cidade de Mateiros (TO), apresenta a viola-de-buriti, instrumento pouco conhecido fora do estado do Tocantins que tem sonoridade e características físicas bastante peculiares. A primeira viola-de-buriti foi criada e projetada por seu avô, Antônio Biato.

Data: 02 de setembro (4ª feira)

Horário: 19h30

Local: Espaço Cultural Escola Sesc

Capacidade: 150 lugares

Duração: 80 minutos

Indicação etária: Livre

Entrada gratuita. Distribuição de ingressos a partir das 18h30

 

 

VIOLAS NO NORDESTE

A viola no Nordeste pode ser encontrada em sua forma mais tradicional, como a presente corriqueiramente na região Sudeste, mas também em variantes típicas da região, como a utilizada por repentistas, que possui um sistema acústico que melhora a projeção do som, e a machete, característica da região do Recôncavo Baiano.

Os três músicos convidados, expoentes em suas áreas, reconhecidos pela dedicação ao repertório tradicional deste instrumento, apresentam uma síntese da presença da viola na cultura nordestina.

Antônio Madureira é violeiro, violonista e compositor, nascido em Macau (RN) e radicado em Recife (PE). Foi líder do Quinteto Armorial, uma das maiores expressões musicais do Movimento Armorial, e depois fundou o Quinteto Romançal.

Ivanildo Vilanova, pernambucano de Caruaru, é cantador e violeiro. Exímio improvisador, desenvolveu sua carreira como repentista em Campina Grande (PB), e apresenta a tradição do repente.

Cássio Nobre, baiano de Salvador, compositor, violeiro e pesquisador do samba de roda do Recôncavo Baiano e em especial da viola machete. Suas pesquisas revelam as transformações da prática musical tradicional da na atualidade.

Data: 03 de setembro (5ª feira)

Horário: 19h30

Local: Espaço Cultural Escola Sesc

Capacidade: 150 lugares

Duração: 80 minutos

Indicação etária: Livre

Entrada gratuita. Distribuição de ingressos a partir das 18h30

 

 

VIOLAS EM CONCERTO

O duo apresenta a viola no ambiente de concerto por meio de repertório que remonta ao período colonial brasileiro, anterior à consagração do violão como principal instrumento acompanhador na música, período em que a viola era uma das pontes musicais entre Europa e Brasil. E chega aos dias atuais pelo repertório de compositores contemporâneos que representam uma importante fase da música brasileira em que a viola caipira, consagrada no meio rural, abre espaços nas salas de concerto e vira objeto de estudos no meio acadêmico chegando, inclusive, a se tornar curso de bacharelado.

Fernando Deghi, paulista de Santo André, radicado em Curitiba (PR), desenvolve o seu trabalho em torno da composição, recuperação, divulgação e ensino de viola brasileira. Suas composições exploram as possibilidades deste instrumento, sobretudo em termos das muitas afinações possíveis e por intermédio dos mais variados estilos musicais, recorrendo a uma metodologia voltada ao desenvolvimento técnico e de repertório.

O carioca Marcus Ferrer é compositor, violonista e violeiro, mestre em composição pela Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e doutor em Teoria e Prática da Interpretação pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Dedica-se ao estudo da viola desde a década de 1980, tendo lançado em 2009 o álbum Viola em concerto, no qual interpreta obras compostas por encomenda a importantes compositores contemporâneos.

Data: 04 de setembro (6ª feira)

Horário: 19h30

Local: Espaço Cultural Escola Sesc

Capacidade: 150 lugares

Duração: 80 minutos

Indicação etária: Livre

Entrada gratuita. Distribuição de ingressos a partir das 18h30.

 

O Espaço Cultural Escola Sesc fica na Avenida Ayrton Senna, 5677 – Jacarepaguá.